Quem Somos

Colunas da Visão: Ganhar, Consolidar, Discipular e Enviar!

ORIGEM

A Igreja Batista Betel de Ivaiporã começou como campo missionário em 2003. A primeira reunião foi organizada pelo saudoso pastor Mauricio dos Reis que, na época, era pastor presidente da IBI Apucarana filiada a CIBI e CIBIPAR.

Em 2004, o ainda campo missionário passou a ser coordenado pelo pastor Waldir Rodrigues até dezembro de 2007.

Em janeiro de 2008, o pastor Aldaney Neves Martins com a sua esposa, missionária Cleusa Martins, assumiram o Campo Missionário de Ivaiporã, o qual foi emancipado em março de 2012, dando origem assim à Igreja Batista Betel de Ivaiporã.

VISÃO

Ganhar, Consolidar, Discipular e Enviar!

Estas palavras sintetizam nossa visão, chamamos esses passos de escada do sucesso.

Aqui está o caminho da visão, a escada ministerial em que consiste o modelo dos doze!

O evangelismo é feito através das células, alguns chamam de grupos familiares. A visão consiste em o líder de uma célula gerar doze discípulos e futuros líderes dentro da mesma. São seus filhos espirituais. Cada um abrirá sua célula e fará a mesma coisa. Quando um membro da célula se torna um líder, ele continuará ligado ao seu próprio líder, agora como membro do seu grupo de doze, para continuar sendo discipulado e apascentado. A multiplicação da célula é feita quando este novo líder fica preparado e pronto para liderar. O alvo é que aquela célula se multiplique em doze células lideradas pelos doze líderes nascidos nela. Isso pode levar de um a três anos. É possível que nesse período uma média de 50 pessoas passem pela célula mãe. Quando o líder original completar os seus doze discípulos, "filhos", deverá distribuir os membros remanescentes de sua célula entre os seus líderes e passar a cuidar dos doze ajudando-os a reproduzir o que foi feito com eles. Quando cada um dos doze da primeira geração tiverem também os seus doze, serão 144 discípulos, é a segunda geração do líder Principal, o pastor. Trata-se de uma multiplicação exponencial. Neste modelo a força da edificação contínua, ou discipulado contínuo, acontece no grupo de doze, que forma a equipe principal do líder no desenvolvimento do seu ministério.

ESTRUTURA

Tendo em vista o discipulado integral, a visão engloba evangelizar todas as classes de descrentes; libertar os oprimidos do diabo; sarar as enfermidades físicas, emocionais e espirituais; integrar os convertidos na vida da Igreja local; ensinar todo o conselho de Deus; treinar os discípulos para exercerem a obra do ministério e enviar estes discípulos a se reproduzirem e cumprirem a missão. A fim de operacionalizar o discipulado, foi desenvolvida uma estrutura na igreja local de quatro degraus, a escada do sucesso:

Ganhar

Evangelização - Através das células, celebrações da igreja, de eventos de colheita, encontros ou evangelismo individual. Fomos alcançados pelo amor de Deus e devemos ter encargo por aqueles que ainda não conhecem o evangelho. Recebemos do Senhor o ministério da reconciliação (II Coríntios 5: 19,20), devemos assumir o nosso papel de sal da terra e luz do mundo, pois, carregamos a mensagem mais poderosa do universo: Jesus Cristo reina e é o salvador de todo o que crê. Fomos chamados para sermos mensageiros das boas novas de salvação, primeiro aos nossos familiares e amigos e também a todos quantos o Senhor nos permitir compartilhar deste evangelho. Devemos ter alegria e motivação ao trabalharmos, arrancando muitos das garras do diabo, conduzindo-os ao reino de Deus.

É importante também lembrar que os alcançados devem ser consolidados. Para que isso aconteça de forma sadia, é fundamental a participação em uma célula.

Consolidar

Isso acontece através de um plano criterioso de cuidado ao novo convertido, usando o consolidador, a célula e os encontros. Quando uma pessoa se converte o líder da célula a que ela pertence ou a que ela for enviada, providencia a consolidação pessoalmente ou através dos seus discípulos ou ministério de consolidação da igreja (pessoas treinadas, integrantes do ministério de consolidação).

Importante, a pessoa não fica sem acompanhamento. A consolidação começa na conversão, são quinze lições e mais o pré-encontro, encontro e pós-encontro. A consolidação termina no pós-encontro e começa o treinamento.

Discipular

Este discipulado e treinamento acontecem através da Escola de Líderes, Seminários, Congressos, nas Células, nas reuniões de edificação e no discipulado pessoal. É um processo. O treinamento básico começa na Escola de líderes e dura em média um ano. Durante a escola a pessoa também está sendo treinada na célula como líder em treinamento. Todas as pessoas que chegam ao ministério devem ser discipuladas. Isso é imprescindível para prover proteção, alimento, crescimento e cobertura espiritual. O primeiro processo de discipulado acontece num período de três meses, com lições específicas, ministradas uma vez por semana e com um discipulador designado especialmente para esta tarefa. Dizemos que este período de discipulado é a porta de entrada ao Ministério. O discípulo conhecerá a visão, concluirá o seu passado para seguir livre em sua jornada com o Senhor, será batizado (caso não tenha sido antes) e recebido no rol de membros do Ministério. Após este período o discípulo será abençoado, liberado e orientado a continuar crescendo através do discipulado.

Compreendemos também que, em cada fase de nossa jornada, devemos ser discipulados enquanto discipulamos outros. A paternidade espiritual ou mentoreamento deve ser vivenciada por todos.

Disse Jesus: "Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo; ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos" Mateus 28:19,20.

Enviar

Através da liderança de células e discipulado de doze. Isso acontece quando o líder em treinamento (discípulo do líder na célula) é enviado na multiplicação e passa a liderar uma célula.

Pais espirituais sadios investem na vida dos seus filhos e têm alegria em abençoá-los e liberá-los para cumprirem seus propósitos em Deus. Em cada fase de nossa jornada com Deus, recebemos pais espirituais que nos auxiliam e nos transmitem herança. Assim como no natural, filhos devem obedecer e honrar seus pais para serem abençoados, na jornada espiritual acontece o mesmo. Filhos espirituais devem honrar suas fontes para crescerem fortes e abençoados. Deus é o nosso abençoador, mas ele usa pessoas (especialmente os pais) para que a bênção nos alcance. "Vós filhos, sede obedientes aos vossos pais no Senhor, porque isso é justo. Honra a teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa), para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra" Efésios 6:1-3.

Os pais, por sua vez, devem ter como objetivo lançar seus filhos como flechas. É honra para um pai ver seus filhos fazendo obras maiores do que as suas. Não queremos apenas alcançar nossa geração, queremos fazer discípulos, não queremos apenas fazer discípulos, queremos enviá-los. Temos trabalhado para implantar esta cultura dentro da igreja, ou seja, onde quer que estejamos atuando, devemos alcançar pessoas, discipular e enviá-las através da imposição de mãos e da palavra profética, transferindo unção para que sejam equipadas e capacitadas para a obra. Foi o que Paulo fez com Timóteo e depois o orientou a fazer com outros: "e o que de mim ouviste diante de muitas testemunhas, transmite-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros" II Timóteo 2:2.

Seguindo estes passos almejamos transformar nossa cidade e os lugares onde o Senhor nos enviar. Não tenho maior gozo do que este: o de ouvir que os meus filhos andam na verdade. III João 4